Pular para o conteúdo principal

Postagens

Feliz Ano Novo...

Sei que já passou da meia noite e que provavelmente eu não fui a primeira pessoa a lhe desejar feliz ano e nem estava ao seu lado para segurar a sua mão quando os minutos trocaram anunciando as boas novas. Sei que talvez eu nem devesse te escrever para lhe desejar um bom ano, mas eu lhe escrevi mais uma vez. Desta vez, eu apertei o enter e no final escrevi uma frase que não deveria ter ido "Amo você". Quer besteira a minha te mandar isso. Você nem fala mais comigo, nem me responde mais e eu ainda me importo com aquele sorriso branco, os cabelos loiros ondulados e com os olhos castanhos escondidos atrás de um óculos que eu amava. Mas não vim aqui para falar de você ou de mim. Quer dizer, eu nem sei porque estou escrevendo sobre algo que não deveria ter acontecido, mas eu te mandei aquela mensagem de ano novo esperando que você não me retornasse. Eu sabia que você não ia responder e eu estava preocupado com a sua dor de cabeça do outro dia por ter bebido demais e você nem ai p…
Postagens recentes

Ah, meu amor

Ah, meu amor. Sabe quando amamos em segredo, choramos calados no meio da multidão e gritamos no vazio de nosso quarto? Sabe quando olhamos um para o outro com aquele olhar que diz "eu te amo", mas nenhum admite publicamente? Ah, meu amor. Sabemos quando dizemos um ao outro "se cuida" e "eu te amo" no meio de alguma mensagem e pensamos, "é só amizade" e não é? Tem tanta coisa que eu gostaria de lhe falar, mas não quero que me vejas com olhos de quem está carente ou algo assim. Tem tanta coisa que eu gostaria que fosse diferente entre a gente, começando por ser a gente mesmo, apenas eu e você. Não digo eu e você para sempre, pois esse sempre é relativo, mas digo eu e você até quando durar, seja uma semana, um mês ou um ano. Ah, meu amor. Quantas cartas escrevi no silêncio do meu quarto escuro e nunca deixei você ver. Quantas noites passei em claro preocupada com sua dor de cabeça ou simplesmente pensando em nós no futuro. Ah, meu amor. Eu simplesm…

Segura até demais...

Segura. Essa é a palavra que a definia todos os dias.  Ela dava um passo por vez, um passo a cada dia e todas as manhãs repetia a si mesma "um dia de cada vez". Aos olhos dos outros, ela podia ser sozinha, mas não se sentia sozinha e amava a sua própria companhia, seus gestos, manias, acertos, erros, imperfeições, sorrisos, posições, posturas e pensamentos. Ela era diferente a cada dia e, por isso não fazia o perfil da sociedade. Arrumada, maquiada, despenteada ou jogada no sofá. Não importava como estava, ela se amava e sabia que era feliz. E era isso que buscava todos os dias, ser feliz. Segura de suas palavras e cheia de marra, era isso que encantava o vendedor de flores na frente de sua casa, que todos os dias lhe oferecia uma rosa. Segura não apenas por escolha, mas por uma necessidade. Ela aprendeu a se virar e não depender de ninguém para ser feliz. Chego a pensar que às vezes, ela era segura até demais. Mas era exatamente por ser assim, que ela encantava e se diferen…

Palavras, momentos e nossa história

Sabe quando fogem as palavras e o pensamento se perde em momentos? É assim que me sinto quando tenho que descrever o que sinto por você. São tantos momentos bons e ruins, que se torna complicado separá-los em caixinhas, por eles formam nós. Mesmo eu dizendo "Eu te amo" todo tempo, sinto que falta algo para explicar o que sinto. Pois você é aquele tipo de pessoa perfeita - mesmo eu sabendo que não existe pessoa perfeita - e isso me assusta. Me assusta o fato de você me completar de tal maneira, a ponto de eu não querer mais ninguém além de você. O que antes era medo, agora é sorriso. O que antes era incerteza, hoje é felicidade. Sei que o amor é instável e relativo, assim como felicidade, amizade, sucesso, mas mesmo cheia de dúvidas com relação a nós e ao futuro, digo que te amo. Sabe quando mesmo juntando todos os sentimentos e palavras do universo ele não descreve o que sinto por você? É mais ou menos isso. O amor deve ser maior que as possibilidade de descreve-lo. Deixe qu…

Ela é assim. Pronto.

Ela é assim. Pronto. Não sei te explicar como, mas ela é assim. É um pouco de tudo o que você pode imaginar dentro de uma capacidade de não ser nada definitiva. Ela é o que sociedade chama de "experiência", de maluca, de doida. Ela é aquilo que não se encaixa em moldes existentes e que ninguém foi atrás antes. E isso a incomoda, às vezes, e muito. Ela é aquela que gosta de ver uma comédia romântica em um sábado lindo de sol. Ela é cheia de sentimentos e parece que suas experiências se manifestam em seu colo, e quase sempre é doloroso e tudo isso pesa. Mas não existe nada, nem maneira que a faça ser diferente e, adoro esse jeitinho que a torna especial. Ela tem algo que pesa e ao mesmo tempo que dá o tom de leveza, algo que a faz chorar e se manifesta em sorrisos, algo que a desmancha e a torna forte. Ela é assim. Pronto. Como eu disse, não sei explicar, mas ela é assim. Com esse jeito doce e árdua ao mesmo tempo é o que encanta as pessoas que a conhecem. Ela é de lua e de hu…

Todo mundo tem...

Todo mundo tem um beijo que nunca esquece, um toque inconfundível e uma referência de perfume. Todo mundo tem um amigo que não largaria por nada e alguém que morres de ciúmes. Todo mundo tem algo que se arrepende de não te feito e algo que se arrependeu depois que fez. Todo mundo ensina e aprende ao mesmo tempo e no mesmo dia. Todo mundo tem sentimento e é frio. Todo mundo precisa de carinho e colo. E precisa de alguém para dividir o mundo e o amor. Não é possível viver sem ser amado por uma única pessoa, assim como não é possível amar todo mundo. Todo mundo tem uma roupa que é a sua preferida e uma comida que mais gosta, assim como tem as que menos gosta. Todo mundo tem um assunto que domine mais e vai encontrar uma pessoa que concorde com seu posicionamento e outra que discorde, mas não deixe de falar com ambas por conta disso. Aprenda com esses desencontros.  Todo mundo já passou pelo menos uma vez acordado falando sobre qualquer coisa com um amigo e já dormir no meio de conversa. …

Depois desse dia...

Eram quase 3h da manhã de um sábado. Você estava no bar com seus amigos, enquanto eu estudava um soneto de Shakespeare. Vocês falavam de mulheres e bebiam, enquanto eu recitava as palavras mais delicadas. Já eram quase 5h quando você chegou em casa com o suéter azul que te dei de aniversário amassado, os sapatos marrons sujos de lama e cheirando a palheiro velho com cachaça. Não falei nada. Você então se deitou ao meu lado sem fazer barulho para não me acordar. Como era de costume, eu acordava às 8h e logo você vinha atrás. Sentávamos na mesa de madeira na cozinha e tomávamos um café passado na hora. Mas naquela manhã foi diferente. Você não levantou. De início não dei muita importância, mas depois me chateie. Comecei então a colocar a roupa no varal e a fazer o almoço. E você nada de levantar. Aquilo era estranho, pois era quase 10h, mas deixei. Então, tive que almoçar sozinha e passar o resto da tarde assim também.Você foi levantar eram 17h e veio reclamar que eu não te chamei - mas…